terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Religião Beû-deh-råa: Deuses e Culto

Início
Beû-deh-råa é uma religião politeísta que prega pelo princípio do Carpe Diem, ou Hakuna Matata. Formulada racionalmente pouco antes da Idade Média pelo filósofo Bottkho Bähr, na Europa Setentrional, espalhou-se por todo o mundo nos séculos XIX e XX e hoje é encontrada em todos os cinco continentes conhecidos.
Bähr afirmava ter recebido um chamado divino de Bhrëdjah, a Grande Deusa de Älkholl, durante um transe que lhe foi por ela mandado em uma taverna da região. Em seu pedido, instruía-o a pregar a Beû-deh-råa como religião de fraternidade, amor, confraternização e diversão.
Bähr levou seu chamado muito a sério, dedicando sua vida à pesquisa dos conceitos beû-deh-råasi e à arrecadação de fiéis para cultuar seus deuses.
Morreu cedo, porém, de alguma doença desconhecida no fígado.

Deuses
Beû-dheh-råa conta com um panteão divino muito diversificado:
Bhrëdjah, a Grande Deusa, o princípio de tudo, muito cultuada no Brasil;
Wynnhö, o Grande Deus, que em alguns lugares é tão ou mais poderoso que Bhrëdjah;
Uyhskyii, deus do poder, do dinheiro e das coisas materiais, muito invocado pela alta aristocracia;
Rwuhn, deus dos Mares, especialmente cultuado pelos antigos piratas;
Phyng-aäh, deusa da agricultura e das coisas simples, muito popular entre as classes menos favorecidas economicamente;
Wvodhkcå, deusa do inverno e da neve, cultuada principalmente na Rússia;
Âbbsy-nntoh, deus do submundo, altamente poderoso e inflamável, apreciado por alguns e temido por muitos; entre outros.

Cultos
Os cultos de Beû-dheh-råa acontecem em templos especializados chamados Bährs ou Bottkhos, cujos nomes são em homenagem justamente ao filósofo e Primo Sacerdote beû-deh-råasi Bottkho Bähr.
A freqüência dos cultos depende muito da devoção do fiel, podendo ser de uma a cinco vezes por semana, ou mais, geralmente às sextas e sábados.
Durante esses cultos os fiéis seguidores de Bhrëdjah, reunidos nos Bähr, purificam suas almas ingerindo o Líquido Sagrado da Vida, Cërrvhe-jâh, que, na medida certa, torna-os capazes de se comunicar com a Grande Deusa. É então que ela os inspira com as Idéias Divinas e o próprio Bähr manda-lhes suas concepções filosóficas, proporcionando a diversão pretendida por Bhrëdjah e alto conhecimento.
É proibido terminantemente a utilização de automóveis após os cultos.
Os seguidores dos outros deuses também utilizam Poções próprias para a comunicação divina, mas não foi encontrado nenhum registro oficial sobre.
Geralmente todos os fiéis beû-deh-råasi cultuam a todos os deuses do panteão, divergindo apenas no fato de se identificarem mais com determinados deuses em determinadas épocas.

"No cume calmo do meu olho que vê assenta a sombra sonora de um disco voador"

5 comentários:

Karol - eu mesma xD disse...

Sabe, sou uma Sacerdotisa de Bhrëdjah.
Estava pensando em cultuá-la nessa ou na outra semana; há alguém interessado em me acompanhar? Quanto mais fiéis, melhor!
xD

Tati disse...

Sou uma devota fiel de Bhrëdjah, e estou muito interessada em acompanhar uma verdadeira Sacerdotisa em seus ritos durante esta semana!

Tati disse...

Há também aqui em casa um restante de fuido invocatório do deus Rwuhn, que, acrescentado ao vulgo Fluido do Demônio, torna-se uma bebida poderosa para entrar em contato com todos os deuses de Beû-dheh-råa!

(Off.: A palavra de verificação aqui agora é "emyduxas". Gostaria de saber se tem algum parentesco com as Miguxas...)

Mari L.ee Jones disse...

Älkholl... amei...*se converte*
agora, preciso começar a cultuar os deuses, para manter viva a fé!

Boneka de Porcelana disse...

adorei a religião *-*
poxa... eu sou adoradora desses deuses e nem sabia... o_O
deidaraaa eu te ajudo a cultuá-los o//