quarta-feira, 10 de setembro de 2008

08.08.08 IV - Finalmente Final

- Hum, pelo jeito ela sabe mais do que a gente imaginava – disse Tod enquanto dava uma longa tragada no cigarro – Sente-se, Carol – continuou, encarando-me – E pegue mais uma Heineken. Acho que temos muito que conversar.

Sentei-me num pufe colorido, retirando uma revista da Turma da Mônica que ali estava e apossando-me de mais uma garrafa da Heineken.
Tentei colocar meus pensamentos em ordem, o que era tarefa difícil, uma vez que três seres bastante peculiares ainda me observavam com seus grandes olhos coloridos.

Bebi alguns goles da cerveja.

Certo. Aqueles eram os famosos (ou não tão famosos assim) Sacanas Que Controlam O Destino Da Humanidade. Chamavam-se Tod, Bob e Zod. Bebiam Heinkens, jogavan Play Station, liam histórias em quadrinhos e não deviam ser muito chegados numa faxina.
Sim, aquilo explicava muita coisa sobre o destino da humanidade.

- Então, Carol - começou Tod - Nós somos Aqueles Que Foram Criados Antes Mesmo Da Criação, entende?

- Há quem diga que nós mesmos nos criamos - disse Bob - Mas eu não tenho tanta certeza disso, visto que não nos lembramos de como fizemos isso.

- Sim, o que é uma pena - falou Zod - Você pode imaginar o que é passar uma eternidade só com esses dois marmanjos aí?

- Hum... deve ser... - tentei dizer.

- Um saco - completou o ser com moicano - Por isso as Heinekens, as revistas, o vídeo-game...

Aquilo começava a me soar extremamente interessante. Explicava muitas coisas, aliás.
Bebi mais cerveja.

- Pois é - disse Tod - Foi então que, durante um dia frio e cinzento, daqueles em que nada se tem e nada se pensa pra fazer...

- E que resolvemos chamar de Domingo - complementou Zod.

- ...decidimos que continuar a viver daquele jeito não ia dar. Precisávamos urgentemente de alguma coisa que nos entretesse, sabe, que nos tirasse daquela monotonia...

- ...e então eu resolvi ir até a janela tomar um pouco de ar - disse Bob - porque o Zod acendia um cigarro atrás do outro - continuou, virando para o amigo e fazendo fazendo uma careta - e meu pulmão não é cinzeiro, saca...

- ...aí - disse Tod acendendo outro cigarro e soltando a fumaça na cara de Bob - essa bicha aí virou, empolgadíssimo, para mim e para o Zod e disse...

- Humanidade!

- Eu perguntei, obviamente - disse Zod - que porra era aquela que ele estava gritando...

- E eu respondi que não sabia, também, mas que tinha jeito de chamar "humanidade".

Eu precisava urgentemente de mais uma garrafa de Heineken.

- O que o Bob, aí, chamou de "Humanidade" - disse Tod - Eram serezinhos muito peculiares, bem parecidos com você, aliás...

- Só que beeeem mais peludos - interviu Zod.

- ... e que vieram, como soubemos depois de analisar um deles atenciosamente, da mistura das cinzas dos meus cigarros e da terra do nosso vaso de petúnias com um pouco da nossa saliva e da cerveja que o Bob desperdiçou porque estava bêbado e jogou a garrafa pela janela.

- Por quê cargas d'água essa mistura bizarra resultou em serezinhos tão divertidos eu não tenho a mínima idéia - falou Bob - Mas vocês tinham uma cara de "Humanidade" a primeira vez que os vi... eu sabia que esse nome ia pegar.

Eu estava embasbacada com aquilo que havia acabado de ouvir. Tentei pronunciar alguma coisa, mas minha voz entrara em greve por melhores condições de trabalho e encontrava-se no momento acampada em minha laringe segurando um cartazinho em branco e comendo pipocas.
Abri mais uma garrafa de Heineken.

- Aí acho que você já sacou o que aconteceu depois - começou Zod - O Bob teve a brilhante idéia da gente influenciar a vida da "humanidade" e ver o que acontecia com eles. Isso nos propiciou séculos e mais séculos de diversão...

- É bem verdade que algumas vezes eles fugiam do nosso controle - disse Tod - E se matavam uns aos outros sem que nós mandássemos...

- Mas temos que admitir que isso dava um sabor a mais para a diversão - completou Zod piscando o olho.

- Agora eu só queria saber o quê diabos você está fazendo aqui - disse Bob arqueando as sobrancelhas.

Ah, como se eu soubesse!

- É, então - comecei a dizer - Eu também gostaria de saber. A última coisa da qual me lembro é estar debaixo de uma samambaia com meu Guru Espiritual, o Profeta Zé Apocalipse...

- Ah, sim, seu amigo barbudo! - exclamou Zod - Gente boa, ele. As vezes dá um pulo aqui em cima pra gente beber uma breja, ou um café.

- Devíamos ter imaginado que era coisa dele - comentou Tod - Ainda está se escondendo d'ELES?

- Sim, sim - eu disse - o Zé está sempre se escondendo d'ELES...

- E é a melhor coisa que ele faz - disse Bob.

Nesse momento uma nuvem de fumaça púrpura tomou o aposento e surgiu, de dentro dela, meu queridíssimo Guru Espiritual Zé Apocalipse e sua inseparável toalha cor-de-laranja.

- Saudações, rapazes - disse ele - Espero que não tenha causado contrangimento o fato de ter deixado minha protegida aqui com os senhores sem tê-los avisado previamente.

- Ah, relaxa, Zé - disse Bob - Ficamos com receio no começo, mas cê tá ligado que adoramos conversar com alguém, né?

- Principalmente se for um daqueles lá - completou Zod.

- Muito que bem - disse o Zé - Eu precisei resolver alguns assuntos com a abertura do Portal de Órion e era extremamente necessário que ela ficasse em segurança. Bom, acho que é hora de irmos, não acha, Carolina?

- É, acho que sim... - respondi, meio aérea.

- Bem, até a próxima Zé! Foi um prazer conhecê-la, Carol. Sempre que quiser beber uma breja com a gente esteja a vontade, viu?

- Obrigada...

- Até mais - disse Zé, pegando alguma coisa dentro de sua bolsa - e obrigado pelos peixes!

Mais uma vez aquela sensação de estar sendo sugada por um cano bem menor do que meu corpo acometeu meus sentidos e, no instante seguinte, estava eu em casa novamente, totalmente sozinha - e ligeiramente bêbada.


(FIM - finalmente xD)

5 comentários:

thiagoelmauer disse...

Como acabei de mostrar ... tem um petúnia na minha orelha ...
huaauihauihauihaiha =DD

olhaaa ! primeiro coment de namorodio ! auihaiuhauiahuai ! =D

=********* super beijooooo !

\o/ =DD

pensador made in vaso disse...

caraca!!!!!!
muito bom cê.Por favor, continue a escrever, kra! nunk t vi, mas as suas histórias agora fazem parte de mim!
abraçooososoosososo!!!!!

Fraturas Expostas disse...

hahá!
sim, bela saga
meu, q vc acha de a gente filmar essa??
vamo? alias, eu fico viajando nos seus vídeos da filomena, caranguejo excêntrico...eu num sou lá uma exímia atriz mas eu adoraria participar de um desses vídeos...me convida!!!

hahaha
bjos!
ah, tem post novo lá, dá uma olhada, acho q vc vai curtir

pensador made in vaso disse...

rsrs só agora reparei na pergunta aki neste espaço comentário.
Sim, eu existo mesmo.
cê passou no meu blog e nem me respondeu, né? quando posso esperar mais histórias suas? sua mente e sua escrita é mil vezes melhor q as minhas.

abraços

ps: concordo com a Aline reis (a pessoa ai de cima), vc deve filmar sim essa sga!

Tati disse...

Putz... Cê viaja, hem???
Dizer que você estava ligeiramente bêbada foi forçar a barra, hem?

E ainda quer que a gente acredite... Ora, francamente!